Salário pode ser penhorado para saldar aluguéis atrasados

Selo SECOVI-DF

SOLICITE AGORA ir!

Boletim

 

Os principais números do mercado do DF.Baixar

Newsletter SECOVI-DF

 

Assine nossa Newsletter. Assinar

Convenção coletiva

Baixe a convenção Coletiva.Baixar

Smaller Default Larger

Salário pode ser penhorado para saldar aluguéis atrasados

A assessoria jurídica do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) informa que a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu manter decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que determinou a penhora de 10% do salário de um locatário para pagamento de aluguéis atrasados há mais de uma década.

O locatário defendeu por meio de recurso especial a impossibilidade de penhora do salário para o pagamento de verba de natureza não alimentar. A ministra relatora, Nancy Andrighi, confirmou inicialmente que a garantia da impenhorabilidade de rendimentos constitui uma limitação aos meios executivos que garantem o direito do credor, fundada na necessidade de se preservar o patrimônio indispensável à vida digna do devedor.

Entretanto, a ministra apontou a necessidade de um juízo de ponderação para que, excepcionalmente, possa ser afastada a impenhorabilidade de parte dos vencimentos do devedor.


Nancy Andrighi ressaltou que, ao negar o pedido de desbloqueio da verba remuneratória, o tribunal paulista entendeu que não havia outra forma de quitação da dívida e, além disso, concluiu que a constrição de pequeno percentual da remuneração do devedor não comprometeria a sua subsistência.

“Sob essa ótica, a regra da impenhorabilidade pode ser relativizada quando a hipótese concreta dos autos permitir que se bloqueie parte da verba remuneratória, preservando-se o suficiente para garantir a subsistência digna do devedor e de sua família”, concluiu a relatora ao negar provimento ao recurso do locatário.

Com informações do STJ

SECOVI-DF nas redes sociais

Aviso!